O Hospital Universitário de Luanda, a cerca de 20 kms a sul de Luanda, enquadra-se no Plano do Distrito Residencial do Camama (1200 ha), equacionado como resposta ao crescimento populacional da capital angolana.

 

O futuro hospital, previsto para servir 100 000 pessoas, inscreve-se em 8 hectares da unidade urbana de Vila Rubra (150 ha), entregando-lhe centralidade, incluindo torre de hotel que, desde logo, ancora e territorializa todo o conjunto. Daqui decorre entendê-lo em dimensão pública além do seu propósito estrito, como se de uma praça urbana se tratasse, a par da vontade de firme humanização do espaço hospitalar.

 

Resolve-se a complexidade programática num conjunto de vigas infraestruturadas habitadas, sobrepostas e contrapostas entre si, em cujos interstícios arborizados são gerados espaços públicos ou semipúblicos de permanência. As fachadas são entendidas como mediadores tropicalizados entre o privado e o não-privado, cujas superfícies atenuam o clima e o rigor compositivo, gerando, ao longo do dia e da noite, as distintas expressões das suas sombras e usos.

 

À parceria com o arquiteto português Eduardo Souto de Moura, referência central da arquitetura contemporânea, e com o arquiteto espanhol Albert de Pineda, especialista de renome na área hospitalar, não será estranho o resultado final, incluindo a firme vontade de partilha mesmo diante dos naturais constrangimentos desta micro-cidade hospitalar.

Características

TIPO DE PROJECTO

Saúde

 

STATUS

Concurso - 1º Prémio

Estudo concluído

 

CIDADE

Camama

 

PAÍS

Angola

CO-AUTORIA

Eduardo Souto de Moura Albert de Pineda Alvarez

 

CLIENTE

Institucional

 

DATA

2014

 

ÁREA DE CONSTRUÇÃO

73 170 m²

 

  • Black Facebook Icon
  • Black Instagram Icon
  • Black Pinterest Icon